RESILIÊNCIA: UMA CAPACIDADE FUNDAMENTAL EM TEMPOS DE CRISE

Tempo de leitura: 4 minutos

Resiliência é a habilidade pessoal de superar com sucesso os desafios e situações estressantes. Como dizia o filósofo Friedrich Niestzche, “Aquilo que não me destrói me fortalece”, representando bem do que se trata o termo resiliência, que teve origem na Física, significando a capacidade que um material tem, após ser submetido a uma ação externa, de readquirir integralmente  suas propriedades anteriores quando a ação cessa.  No entanto, o termo foi cunhado pela Psicologia e tem sido muito utilizado com o seguinte conceito:

 “Resiliência é  a capacidade humana para enfrentar, vencer e sair fortalecido ou transformado por experiências de adversidade” (Grotberg, 2005).

 

É um ingrediente crucial, especialmente em  tempos de crise, quando grande parte das pessoas se torna pessimista.  Muitas vezes reagimos como vítimas frente às adversidades e situações estressantes para justificar nossa própria inoperância (Coitadinha de mim!).  E, ao nos colocarmos nesse papel, perpetuamos sentimentos de desesperança, reclamamos, lamentamos e atribuímos a fatores externos a responsabilidade pelas dificuldades que passamos na vida. Nessa posição, ficamos com pena de nós mesmos e deixamos de agir para superar os problemas.

Pessoas resilientes  não paralisam  diante das  adversidades e  são capazes de seguir em frente, adaptando-se, buscando soluções, superando, e até mesmo, crescendo com a experiência. No mundo do trabalho, a resiliência tornou-se um importante diferencial já que a capacidade de adaptação e flexibilidade têm se tornado extremamente desejável para  executivos, empreendedores e equipes em geral, que lidam constantemente com as mudanças de cenário e precisam se adaptar e atuar rapidamente. A boa notícia é que a resiliência pode e deve ser desenvolvida e exercitada como um poderoso recurso de enfrentamento.

De acordo com as pesquisas de Archor (2012), se as pessoas considerarem as adversidades como desafios e oportunidades de crescimento, aceitando-as e encarando-as de frente, as chances de superá-las, de encontrarem soluções criativas e de saírem fortalecidas serão bem maiores. É a interpretação dada aos acontecimentos que determina como as pessoas se sentem e se comportam diante deles. Podemos nos tornar mais resilientes mudando a maneira que pensamos sobre os desafios e adversidades.

O especialista em liderança Paul Stoltz, presidente da Peak Learning, uma empresa de consultoria global americana, criou o conceito de Quociente de Adversidade (QA), que é um sinônimo de Resiliência.  Ele nos fala dos 4 fatores-chave para lidar melhor com as adversidades: o CORE (sigla em Inglês) conforme o quadro abaixo:

 

 CORE

  • CONTROLE (Control)

Como posso controlar ou  influenciar a situação

  • ASSUMIR RESPONSABILIDADE (Ownership)

A quem atribuo a responsabilidade pelo problema

  • ALCANCE (Reach)

O tamanho do problema.

  • DURAÇÃO (Endurance)

O tempo que acredito que o problema vai durar

 

E você? Como costuma lidar com os problemas e situações estressantes que surgem no dia a dia?

 

Veja algumas perguntas poderosas que você pode se fazer para aumentar a sua resiliência ou QA:

– Qual parte da situação eu posso controlar ou influenciar?

– Culpar o outro ajuda a resolver o problema?

– Como eu posso contribuir para melhorar a situação?

O que estou fazendo ou deixando de fazer que contribui para que o  problema se  mantenha?

– Isto precisa arruinar o meu dia?

– O que eu posso fazer para limitar a duração do problema?

 

Pessoas resilientes acreditam que estão no controle da situação e que é possível se responsabilizar e influenciar a situação de forma positiva. Enxergam os problemas como desafios, percebendo que possíveis erros são oportunidades de crescimento e aprendizado. Não permitem que a situação afete outras áreas da sua vida, o que só pioraria as coisas e, engajam-se na busca de soluções, entendendo que a situação não vai durar pra sempre.  Fica aqui o convite para arregaçarmos as mangas e lidarmos com a crise de maneira otimista, criativa e resiliente, percebendo oportunidades onde a maioria só vê problemas!

 

CRISTINA MOTA

Cristina Motta atuou por 20 anos no mundo corporativo como executiva e hoje ajuda  pessoas a se transformarem pelo autoconhecimento. Atua como personal & executive coach, conduz treinamentos em empresas e leciona em cursos de especialização em Psicologia Positiva. Para saber mais sobre sua formação e experiência profissional, acesse sua página no Linkedln.