QUAL É O PAPEL DOS LÍDERES NA GESTÃO DO CONHECIMENTO?

Tempo de leitura: 2 minutos

A discussão sobre quem deve ser responsável pela gestão do conhecimento na organização é antiga. Grande parte dos alunos e clientes da Rede Índigo relatam que têm o desafio de convencer os líderes de outras áreas de que gestão do conhecimento é importante. Qualquer projeto que abrange a organização como um todo e que demande uma mudança de cultura costuma gerar alguns atritos entre áreas pares. Isso costuma acontecer por falta de abertura para o diálogo.

Existem 3 situações típicas:

  1. Áreas diferentes consideram que deveriam ser responsáveis pelo tema e acabam competindo, mesmo que de uma maneira velada.
  2. A organização já tentou implantar gestão do conhecimento sem êxito e a retomada do tema gera resistência.
  3. Os líderes entendem que será um trabalho a mais a ser assumido por suas equipes e não cooperam com a iniciativa.

Para acomodar todos esses interesses e garantir que o projeto dê certo, é importante ter clareza do que está gerando resistência nos líderes de outras equipes e, com flexibilidade, escuta ativa e bons argumentos, ir ganhando a confiança deles. Além disso, é fundamental deixar clara a importância e o papel dos líderes na implantação e na continuidade do projeto. No caso da gestão do conhecimento, as principais funções dos líderes são:

  • identificar as necessidades das suas áreas que podem ser atendidas com soluções de gestão do conhecimento;
  • engajar sua equipe nas iniciativas que envolvem compartilhamento, colaboração e geração de ideias para que eles não tenham receio de parecer que estão “perdendo tempo”. Para isso não acontecer, os líderes devem demonstrar que valorizam essas iniciativas.

As lideranças são importantes também para evitar a formação de feudos e promover a integração entre as áreas. Vale destacar que os gestores de algumas áreas específicas têm um papel essencial na própria governança de projetos de gestão do conhecimento, como costuma ser o caso de áreas de tecnologia da informação, gestão de pessoas, comunicação, processos e outras que detêm conhecimento crítico para o negócio.

O papel dos líderes das diferentes áreas é, portanto, fundamental para permitir a formação de uma cultura favorável à gestão do conhecimento, que demanda abertura constante para colaboração e compartilhamento. E quem estiver articulando essas iniciativas deve ter sensibilidade para perceber as sutilezas e as necessidades específicas de cada área para costurar essas relações.

Se você preferir assistir a este conteúdo em vídeo, clique aqui ou veja abaixo.

 

CAMILA PIRES

Camila Pires, Fundadora da Rede Indigo, é apaixonada por aprender, por empreender e por desenvolver pessoas, equipes e organizações. Ela tem uma formação multidisciplinar que passa por comunicação, gestão do conhecimento, gestão empresarial, coaching, neurociências pedagógicas e inovação. Para saber mais sobre sua formação e experiência profissional, acesse seu perfil no LinkedIn.

 

EBOOK GESTÃO DO CONHECIMENTO